Produtividade no trabalho remoto

A uma conexão de distância

Poderíamos dizer uma infinidade de coisas sobre o trabalho remoto. Por exemplo, como começou há mais tempo do que imaginamos. Que foi ganhando força com a chegada do capitalismo e mais ainda com a introdução de novos meios de comunicação como o telégrafo no final do século 18, o telefone (fixo ou móvel) e a internet, ambos no século 20.

Já era possível trabalhar de qualquer lugar do mundo e muitas vezes fazíamos isso sem perceber!

Com o avanço da tecnologia acontecendo de forma exponencial, trabalhar fora das paredes do escritório foi ficando mais comum e era uma das grandes tendências do mercado de trabalho para os próximos anos.

É certo que empresas já experimentavam o formato híbrido. Fosse de forma a liberar o home office em alguns dias da semana. Ou com um modelo baseado em ter algumas pessoas direto no escritório, enquanto outras ficavam 100% remotas.

Assim caminhava o trabalho remoto, com passos de formiga e nem sempre com vontade, como diria Lulu Santos.

Eis que chegou 2020…

Pandemia, lockdown, quarentena, distanciamento e isolamento social. 

Palavras e expressões que antes pertenciam a um filme de ficção científica ou uma série médica passaram a dominar conversas cotidianas, normalmente acompanhadas de um tom preocupado.

Da noite para o dia todos fomos obrigados a repensar a maneira de viver e, claro, de trabalhar. Uma transformação que demoraria anos, feita em uma questão de dias. Foi assim que mesmo os menos amigáveis à ideia de trabalho remoto acabaram tendo que aceitá-la. 

A tendência virou realidade e chegou com muitos desafios e muitas coisas boas também!

Ficar horas e horas em chamadas de vídeo, não poder trocar ideias com a pessoa da mesa ao lado e não poder almoçar ou tomar um café com os colegas. Essas são apenas algumas das coisas que simplesmente não são possíveis num cenário remoto e fazem falta, podendo afetar a entrega de resultados e até a saúde mental dos colaboradores.

Por outro lado, o tempo ganho com a não necessidade de deslocamento, a flexibilidade de horário, a possibilidade de estar mais próxima da família, de ter tempo para estudar e investir na carreira. Assim como as dificuldades, os ganhos também são inúmeros e muito importantes.

Estamos conhecendo uma nova maneira de viver em sociedade.

Ok, ok, mas o que realmente estamos conhecendo?

Afinal, o que é trabalho remoto?

De forma rápida e simples: é trabalhar em qualquer outro lugar que não o escritório e de qualquer forma. Portanto, a partir disso temos algumas classificações que são importantes para entender melhor qual a nossa realidade.

ANYWHERE OFFICE

 Essa forma de trabalho acontece quando é possível trabalhar de qualquer lugar do mundo que quiser. Seja um resort em Bangladesh, um café em Nova Iorque ou em um hotel fazenda enquanto as crianças andam à cavalo.

A questão aqui é que você pode ficar se mudando ou em um lugar só, não importa nem o que você faz. O que importa é que tem a liberdade de trabalhar de qualquer lugar do mundo e tudo bem desde que tenha uma conexão com a internet.

HOME OFFICE

Esse trabalho remoto, por sua vez, tem um lugar bem conhecido para acontecer: a sua casa. Nessa modalidade, não importa o que você faça, desde que seja entre as paredes da sua casa. É uma das modalidades mais comuns de trabalho remoto.

Roupas sujas de um lado, crianças correndo de outro, mas o conforto de estar no próprio ambiente, perto das pessoas que ama.

TELETRABALHO

Esse nome é um pouco mais raro de ouvir, mas também está muito presente. É quando o trabalho consiste primariamente em ligações. Seja por telefone ou plataforma virtual. Seja por áudio ou por vídeo. A palavra da vez aqui é chamada. Do jeito que for, quando for, mas sempre chamadas.

MODELOS HÍBRIDOS

O último modelo é uma mistura de todos os outros. Afinal, é possível estar uma semana em casa, fazendo planilhas e a semana seguinte no Himalaya fazendo chamadas.

E aí, qual é o seu tipo de trabalho remoto? O que funciona melhor para você?

Agora a pergunta que não quer calar: você consegue ser produtiva em algum desses modelos? Que tal conhecer mais sobre o assunto no nosso curso de Produtividade no Trabalho Remoto!

Comentar