Multipotencial: o que você quer ser quando crescer?

Você certamente já ouviu essa pergunta quando era criança. Também já deve ter ouvido agora, depois de adulto. O que você quer ser quando crescer?

As respostas variam pouco quando somos crianças. Queremos ser astronautas, bailarinas, piratas. Quando adultos, as respostas têm muito a ver com a profissão que já temos: queremos ser gerentes, diretores ou ter algum cargo superior. Existe um longo caminho entre os sonhos de crianças e o almejar de adulto. A verdade é que nem sempre deixamos de querer ser astronautas para sermos analistas de sistemas, mas fomos influenciados pela cultura da nossa sociedade.

Mesmo que estejamos muito satisfeitos com a nossa carreira numa multinacional, não têm nada de errado querer bordar toalhas e vendê-las. Uma habilidade não anula outra, e isso é bastante difícil de entender nos dias de hoje, por mais que já sejamos gente grande.

Tudo bem gostar de mais de uma área do conhecimento. Tudo bem querer fazer Direito e também Medicina. Tudo bem gostar de trabalhar de social num dia e de chinelo no outro.

Se muitas vezes você ouviu que é preciso ter uma especialidade, se aprofundar num tema, isso não é uma verdade universal. Se você está tentando uma segunda, terceira ou quarta área para trabalhar e/ou estudar, tudo bem. Não é que você necessariamente deixou de gostar do que fazia antes ou que você nunca vai encontrar nada que te satisfaça. Você pode ser uma pessoa multipotencial: daquelas que gostam de muitas coisas e querem aprender sobre muitas coisas. Mais uma vez: tudo bem!

Isso tudo não é uma fraqueza a ser superada ou mais uma frustração que você vai ter que passar por cima. Ser multipotencial é desenvolver todas as habilidades que existem dentro de você, ignorando o que você (ou o mundo) possa achar que não faça sentido na sua carreira como um todo. Ser multipotencial é uma qualidade.

Problema resolvido

Uma das habilidades mais valiosas que as pessoas multipotenciais têm é o seu poder de unir diversas áreas do conhecimento para resolver problemas. Em 2012, uma amiga cursava o técnico em informática, mas com o sonho de, posteriormente, entrar na graduação em Letras. Seu trabalho de conclusão de curso não poderia unir melhor suas paixões: um programa que corrigia textos automaticamente aplicando as novas regras da reforma ortográfica. E é basicamente disso que nascem as ideias inovadoras: unir soluções e/ou temas que usualmente não se conversam e transformá-los em algo novo.

Ser multipotencial não é só gostar de várias coisas ao mesmo tempo e querer aprender sobre todas elas. É saber se adaptar às diferentes necessidades individuais ou das pessoas ao seu redor. Se você cursou medicina e resolveu, depois, fazer cinema, você pode ser o diretor ideal para uma série como Dr. House, não?

Como você se enxerga no mundo profissional e de satisfação pessoal hoje? Você tem unido todas as suas habilidades, suas paixões, suas curiosidades? Se ainda não, o que impede você? Emilie Wapnick, em seu TED “Por que alguns não têm uma vocação específica”, afirma:

Abrace suas múltiplas paixões. Siga sua curiosidade dentro daquela toca do coelho. Explore suas interseções.

Desistir de uma carreira e tentar outra nem sempre é o fim do mundo. Até porque você não necessariamente está “desistindo”. A bagagem continua para sempre na sua jornada, ajudando você a aplicar os mais diversos aprendizados em qualquer lugar que você for. Mesmo que você troque de novo e de novo: você aprenderá cada vez mais.

Se você ficou curioso, confira a seguir a palestra completa de Emilie:

 

Comentar