Saiba como transformar uma boa ideia em oportunidade

​O brasileiro é conhecido por ser um povo criativo, capaz de apresentar soluções originais e empreendedoras. Somos hábeis em transformar aquilo que é apenas uma ideia em uma grande oportunidade de negócio.

Acontece que às vezes, uma ideia permanece apenas como uma ideia, e não é executada por falta de preparo. Confira nossas dicas e saiba como transformá-las em oportunidades.

Diferencie ideia de oportunidade

Você pode pensar que essa é uma informação óbvia, mas se você perguntar àqueles que não conseguiram continuar seus negócios poucos meses depois da abertura apesar de suas ideias serem bem originais, vai entender que é preciso sim fazer essa diferenciação entre ideia e oportunidade.

Pode ser que a sua ideia seja a mais empreendedora de todos os tempos, mas enquanto for apenas uma ideia, ela não terá nenhum valor.

A oportunidade de negócio é aquele momento em que você transforma o seu plano em algo concreto, ou seja, um serviço/produto que inove, ou que se diferencie daquilo que já existe no mercado até então.

Escute e aprenda com outras pessoas

Procure orientação de pessoas que já passaram pelo desafio de transformar uma ideia em oportunidade. Não fique atento apenas aos exemplos de sucesso, vá também atrás daqueles projetos que fracassaram.

Há quem acredite que a melhor forma de aprender algumas coisas é pelo erro, mas não precisa ser o seu. Quanto mais informado você estiver, mais preparado estará para a solução de eventuais problemas.

Esse encontro pode ser ainda a chance de encontrar pessoas que tenham ideias que, em conjunto com a sua, podem ser transformadas em oportunidade, garantido a viabilidade do projeto.

Descubra qual são as demandas do mercado

Muitos empreendedores ficam tão focados na oportunidade de negócio conquistada que acabam concentrando seus esforços no produto/serviço, ignorando totalmente que é necessário um mercado preparado para entender, receber e comprar o benefício desse negócio.

Faça uma pesquisa de mercado e descubra se, no momento, existe um espaço para o lançamento do seu produto/serviço. Não deixe também de analisar a concorrência. Esse trabalho, feito ainda no início do processo, pode ajudá-lo a lapidar a sua ideia e, assim, ter mais êxito ao transformá-la em oportunidade.

Conheça os seus clientes em potencial

Descoberta a oportunidade de negócio, é hora de conhecer o seu público consumidor. Alguns passos básicos:

  • Quem é ele?
  • Onde mora?
  • Qual é o seu poder aquisitivo?

Essas perguntas, quando respondidas, oferecem a você informações muito valiosas que vão ajudá-lo a pensar na localização do seu negócio, no preço a ser cobrado pelo produto/serviço e no tipo de atendimento que será oferecido, entre outras coisas.

Faça um orçamento de custos

Pegue a calculadora e faça um levantamento dos custos necessários para a execução de sua ideia. Esses custos devem conter, por exemplo, o gasto com matéria-prima, a  mão de obra, os impostos, os investimentos em máquinas e equipamentos, a conta de telefone e aluguel do espaço para a execução do negócio, e por aí vai.

Estipule metas

Desde o início, tente estabelecer metas: você pode começar estipulando um prazo para que a ideia seja efetivamente posta em prática e transformada em oportunidade. Feito isso, crie uma projeção de qual será o tempo necessário para que essa oportunidade de negócio dê retorno. Essa atitude é importante porque ajuda você a se preparar para resolver eventuais problemas durante o processo e até mesmo a atrair investimentos externos.

Gostou das nossas dicas? Queremos saber sua opinião.Preparado para transformar suas ideias em oportunidade de negócio? Compartilhe suas impressões conosco nos comentários.

 

 

Comentários (02)

  1. No curso de Business Design do qual participei agora em julho/2016, ficou claro que os maiores desafios no processo de design do negócio são: a sistematização equilibrada do segmento de clientes; correlacionada a uma proposta de valor. O próprio conceito de proposta de valor já é uma dificuldade. Mais especificamente: o que é VALOR? Sabemos que devemos resolver o problema de alguém, entender suas necessidades (outra noção talvez ainda obscura e bem ampla). Estou esboçando um método – rabiscando ainda – em que conexões cognitivas podem ser estabelecidas entre pesquisa, criação e reflexão (PCR), de um lado; para que o inteligível, o sensível e o perceptível (dimensões da cognição humana) possam encontrar sua capacidade de cocrição no processo de design, de outro. No transcurso do processo, cocriação externa – entre a equipe – e cocriação interna (entre as dimensões) devem ter o espaço dialógico garantido para que potencialidades de design sejam aproveitadas. É preciso permitir-se à possibilidade de cocriação interna – capitalizando o provisionamento de ideias surgido pelo diálogo com o outro, em meio ao questionamento interno das próprias convicções, no interior das várias formas cognitivas. Até mesmo as próprias dúvidas são colocadas em discussão. Entre o difícil e o edificante, pode encontrar-se a liberdade fundamental, talvez um dos elementos do núcleo intangível do processo de design.

  2. Olá
    Olha gostei muito das dicas, pois estou em pleno processo de formatação da minha marca para se tornar franqueadora, e estou “meio sem direção” ou seja em busca de maiores informações á respeito de todo e qualquer transformação de ideias em uma verdadeira oportunidade de negocio para novos empreendedores….
    Sou Márcio Souza de Campinas

Comentar